Lampedusa é a ilha mais ao sul da Itália e da Europa, na verdade, mais próxima do continente africano. As belas águas azul-turquesa contrastam com a paisagem árida e desértica e as aldeias. Foi aqui que Daniela Freggi montou o Centro de Resgate há mais de 20 anos, quando era patrocinado pelo WWF Itália.

O primeiro local do Resgate das Tartarugas de Lampedusa era amplo e um lindo hospital para as tartarugas marinhas trazidas por pescadores e moradores locais. No entanto, não era um local conveniente - estando longe do mar, era difícil bombear água para lá. Assim, o Centro mudou-se em 2009 para a Stazione Marittima, edifício utilizado pela Guarda Costeira italiana, que se localizava na entrada do porto e permitia um fácil acesso para visitantes e pescadores. No entanto, em fevereiro de 2020, o centro mudou. Agora operando no extremo sudeste da ilha, próximo ao acquacoltra, o local oferece espaço suficiente para acomodar os tanques onde as tartarugas podem ser cuidadas e mostradas aos visitantes e pescadores para fins educacionais, bem como um prédio separado contendo o laboratório e sala de operação. Durante os meses de verão, o Centro está aberto ao público das 17h00 às 19h00 de segunda a sábado. Por favor, verifique nossas redes sociais para horários precisos e para marcar uma visita nos meses de inverno.
   

O Centro de Resgate hospeda aproximadamente 200 tartarugas anualmente, a maioria das quais são capturadas acidentalmente por pescadores. Outros são trazidos de centros do WWF em outras partes da Sicília, turistas ou residentes locais. Todos os esforços são apoiados pela Guardia Costiera (Guarda Costeira), Carabinieri e Guardia di Finanza (polícia italiana).

O Rescue Center conta com esforços voluntários para realizar seus principais objetivos. Ao chegar, você pode ver nossas tartarugas residentes ( leia mais ), aprender sobre a atividade veterinária, sustentabilidade, os ecossistemas do oceano Mediterrâneo e conhecer nossos maravilhosos voluntários italianos e internacionais. Você pode ouvir histórias de esforços e dificuldades, bem como enorme sucesso na recuperação dos esforços de biólogos, conservacionistas e veterinários.

As tartarugas que encontramos e tratamos sofreram de vários problemas ou ferimentos relacionados com a interação humana. Por exemplo, alguns arriscaram perder todas as nadadeiras devido ao emaranhamento nas linhas de pesca, outros quase se afogaram em consequência da desnutrição causada por obstrução digestiva do plástico e alguns sofreram de infecções pulmonares causadas pela poluição. Graças à nossa equipa trabalhadora e aos grupos coordenados por Daniela Freggi e o Professor Di Bello da Universidade de Bari, quase todas as tartarugas aqui podem receber a atenção de que necessitam com uma recuperação total que lhes permite regressar ao mar.

As cirurgias são realizadas após radiografia diagnóstica, ultrassom e exames de sangue preliminares. Nosso índice de sucesso cirúrgico é alto, mas é bastante difícil diagnosticar com exatidão os problemas desses antigos animais, devido à falta de pesquisas realizadas sobre eles. O campo está constantemente aprendendo como tratar e ajudar melhor as tartarugas marinhas com novos métodos e dados. A cirurgia para tartarugas marinhas é tão precisa e delicada quanto com qualquer outra espécie. Mais comumente, anzóis e linhas são extraídos ou infecções e ferimentos são tratados. Os veterinários também usam anestesia e fornecem às tartarugas o oxigênio necessário durante os procedimentos.

Um método cirúrgico desenvolvido neste centro foi infinitamente útil para alcançar o esôfago e partes do trato digestivo sem abrir o plastrão. Agora, é feita uma incisão nas partes moles do ventre próximo às nadadeiras para extrair os órgãos que são o foco da operação. O procedimento exige precisão e manutenção de pressão e condições internas sobre os órgãos extraídos para manter a tartaruga viva. Quando a operação for concluída, a tartaruga pode ser trazida de volta de seu estado anestésico. Os tratamentos com antibióticos são administrados imediatamente e observados de perto após o procedimento. A maioria das operações é estressante e tensa, mas a recompensa é imensa. É por isso que o Centro continua recebendo novos pacientes, com a valiosa ajuda de pescadores, marinheiros, voluntários e cientistas.

Bem-vindo ao centro!

      O laboratório

      The Veternarian Center

O Centro de Resgate / Hospital

Punta sottile Presso ACQUACOLTURA, 92031, Lampedusa, AG, Itália freggidaniela@gmail.com Tel: (+ 39) 338 21 98 533